O FILME DO FERIADO

Captura de Tela 2015-04-19 às 23.27.14

Emocionante é o mínimo que se pode dizer deste documentário. Nesses tempos de política à flor da pele, o documentário “Setenta” deveria ser obrigatório a exibição em todas as escolas do país. Com produção de Cavi Borges, Sandra Moreyra, Jom Tom Azulay e direção de Emilia Silveira, o filme mostra em depoimentos históricos, um capítulo importante e triste da nossa história. Quem são os setenta guerrilheiros, setenta sonhadores que lutavam para derrubar a ditadura militar em nosso país? Dezoito sobreviventes contam a aventura que viveram durante esse período medonho e o que aconteceu quando pegaram um avião com destino ao desconhecido, em troca de um embaixador sequestrado. Um filmaço. Seguramente aqueles que saíram recentemente às ruas levando cartazes pedindo a volta dos militares, não devem ter passado nem perto deste DVD, que acaba de chegar às boas casas do ramo. Para ver e guardar.

[fotos Reprodução]

 

ILHA SOLTEIRA

Captura de Tela 2015-04-18 às 23.01.51

Ilha Solteira, localizada a noroeste do estado de São Paulo, ficou em quinto lugar na lista das dez melhores cidades pequenas para se viver, segundo o IBGE. Olhando assim, a gente tem a impressão de que se trata de uma cidade da Europa, não é mesmo?

[foto Prefeitura de Ilha Solteira]

A PIADA EM DEBATE

Captura de Tela 2015-04-19 às 09.06.45

Gosto do Cláudio Paiva, dos seus textos e dos seus cartuns. Mas, este publicado pela revista O GLOBO, merece um pequeno senão. A piada seria boa, se tivesse sido publicada antes do escândalo do Mensalão e do Petrolão. Nunca, na história do país, se viu tanto político, tanto empresário e tanta gente chique sendo preso. É uma média de quase um por dia. A piada é velha, tão velha quanto aquela frase que alguns ainda insistem em dizer… “e político vai preso no Brasil?” Vai sim.

[reprodução revista O GLOBO] 

LAVOISIER

Captura de Tela 2015-04-19 às 22.57.42

O governo federal pagou uma pequena fortuna para uma agência de publicidade criar uma logomarca para o projeto #humanizaredes…

Captura de Tela 2015-04-19 às 22.59.50

… que já existia na Internet, criação da Gettyimages…

Captura de Tela 2015-04-19 às 22.55.24

… e que o VILLASNEWS já tinha visto, estilizada, na capa do disco do tremendão Erasmo Carlos.

[reproduções]

AS FOTOS DE DOMINGO

 

 

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.30.00

Pela sexta vez consecutiva, a consultoria de recursos humanos britânica Mercer, escolheu Viena, a capital da Áustria, como a melhor cidade para se viver, a que tem melhor qualidade de vida. No ranking aparecem quatro cidades brasileiras: Brasília, Rio, São Paulo e Manaus. Essas fotografias, fiz quando fui em Viena em 2012, e já era considerada a cidade modelo para se viver.

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.32.20

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.34.11

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.35.14

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.31.51

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.34.36

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.32.35

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.33.45

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.31.04

Captura de Tela 2015-04-17 às 09.34.56

[fotos ALBERTO VILLAS]

 

A LEITURA DO DOMINGO

Captura de Tela 2015-04-17 às 11.22.08

Os tempos eram outros, os jornais eram outros, os colunistas também. Carlos Castello Branco, o Castelinho, era um comentarista e tanto. Quem gostava de política, ou não, comprava o Jornal do Brasil e ia direto na coluna do Castelinho. Com ele não tinha papo furado, previsões erradas nem conversa pra boi dormir. O livro “Todo aquele imenso mar de liberdade”, do jornalista Carlos Marchi, colega de trabalho do colunista, conta histórias da vida e obra do Castelinho, que tanta falta nos faz nos dias de hoje.

[Todo aquele imenso mar de liberdade – Carlos Marchi – Editora Record – 560 páginas – 60 reais]

O SOM DO SÁBADO

Captura de Tela 2015-04-17 às 11.25.15

Nenhuma boa novidade nas lojas de disco que ainda restam, o sábado fica propício a ouvir o bom e velho Arnaldo Baptista. O seu primeiro disco solo, “Loki?”, de 1974, é antológico. Bom do começo ao fim. O Brasil está precisando de mais Arnaldo e menos Luan. Será que eu vou virar bolor? Escuta só.