JORNALISMO CORAGEM

 

O jornal francês Libération é daqueles que a gente tem prazer de pegar de manhã na porta de casa. Ele não tem medo, não pisa em ovos, não finge de imparcial. Na edição de hoje, a manchete está entre aspas, mas mostra uma foto de Donald Trump: “Um racista, um escroque, um trapaceiro”. São palavras do seu ex-advogado. Gosto desse jornalismo.

[AV]

O DILEMA DO JAGUAR

Sérgio de Magalhães Gomes Jaguaribe, o cartunista Jaguar, nasceu em 1932. Até ai, tudo bem. O problema é que o Jaguar nasceu no dia 29 de fevereiro. Hoje é 28, amanhã, primeiro de março. E cadê o dia do aniversário do danado do Jaguar? Talvez o segredo da longevidade do autor do livro Confesso que bebi, seja esse, fazer aniversário de quatro em quatro anos. Então, brindemos os 24 anos do nosso querido Jaguar!

ABRA O OLHO, FAGNER!

Lendo o jornal O Globo hoje cedo, você depara com algumas declarações do cantor e compositor Raimundo Fagner, na capa do Segundo Caderno. A reportagem é sobre o lançamento da biografia do artista cearense, escrita (ainda não lida por mim) por Regina Echeverria, jornalista minuciosa e dona de um belo texto. O que que me leva aqui agora, é a declaração dele acima, grifada em vermelho. Se Fagner, depois de ler a matéria sobre o livro, der uma espiadinha na mesma edição de O Globo, no título que abre a página 12, ele vai perceber o seu engano. Veja abaixo.

SIMPLICIDADE

Essa fotografia foi tirada em 1960, quando Agenor de Oliveira, conseguiu um emprego melhor. Deixou de ser vigia na Comissão Federal de Abastecimento e Preços (COFAP), órgão do Ministério da Indústria e Comércio, no Rio de Janeiro, parar ser garçom, mais precisamente para servir cafezinho no gabinete do ministro. Num tempo em que o Rio era a capital do Brasil, Agenor de Oliveira, com uma certa estabilidade, teve tempo para compor obras primas como As rosas não falam, O mundo é um moinho, Acontece e Ensaboa, entre dezenas de outras. Eu quero o Brasil da simplicidade de volta. Eu quero o Brasil de Agenor de Oliveira, o Cartola, de volta.

[AV]

[foto Arquivo Nacional]

[informações Denilson Monteiro e Fernando Rabelo]