DEZESSETE

Por volta de mil novecentos e sessenta e seis, mil novecentos e sessenta e sete, quando ainda sonhava em ser jornalista, lembro-me bem de ter lido na revista Realidade uma reportagem sobre o fantástico mundo da criança. A revista colheu pequenos depoimentos da meninada e um deles deu o título para a matéria: “O mundo é aqui lá fora onde todas as coisas acontecem”. Lembrei disso hoje porque o meu mundo lá fora, há 19 dias, é visto pela janela, como se fosse uma tela de televisão passando um programa meio sem graça. O que me alegra é ver as árvores ainda estão bem verdes e os passarinhos que pulam nos galhos. Não ouço ninguém falando, conversando outro assunto, dando um abraço ou um simples aperto de mão. Me irrito com os ônibus que ainda circulam, não sei bem o motivo. Quem sabe são as enfermeiras e eu aqui achando que é gente que simplesmente desafia a quarentena para agradar o idiota que está no poder. Estou cansado de ver televisão de verdade, vejo sem parar por dever da profissão. Acabo trabalhando o dia inteiro, meio sem perceber. Nos minutos de folga que agora decidi ter por obrigação, vou pra rede que fica na varanda, o único lugar ao ar livre da casa, e mergulho na leitura de um livro fascinante: “A ridícula ideia de nunca mais te ver”, da espanhola Rosa Montero”, o último que comprei na Travessa, num dos últimos dias que ainda estava aberta. Fico maravilhado com a vida de Marie Curie, vítima do rádio que ela mesmo descobriu e a matou, depois de receber o Nobel junto com o marido, Pierre, morto esmagado pela roda de uma carroça. Quando acabar, vou reler os poemas de Pier Paolo Pasolini, minha paixão, e depois vou voltar à escravidão, de Laurentino Gomes. Hoje cedo, o carteiro deixou em cima do capacho a Superinteressante de abril, dois exemplares da Carta Capital que estavam acumulados na portaria do meu prédio e também a Piauí. Deixo tudo pro final de semana, quando acordo um pouquinho mais tarde e vejo que está passando o Globo Rural. Mas hoje ainda é quarta. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s