APRENDER A NADAR

Nunca fui um exímio nadador, pelo contrário. Sou mais uma galinha esbaforida dentro d’água do que aquele pato que vinha cantando alegremente. Mas, mineiro, tenho uma verdadeira paixão pelo mar, piscina não, mar. Mar de água salgada, horizonte sem fim. Seja o mar da Bahia, do Espírito Santo, de todos os estados do Nordeste, Mar de Espanha. Menino, catava conchinhas, pegava peixinhos, corria atrás de Marias Farinhas. Copacabana, São Sebastião, Praia do Rosa, morro de saudade. Quando vejo uma imagem na televisão ou uma fotografia, aumenta a vontade. Sonho com o mar, mar de Dorival Caymmi, aquele que quando quebra na praia é bonito. Hoje sonhei com você, com Edu, quem sabe hoje tem jangada no mar, hoje tem arrastão, todo mundo pescar. Chega de sombra João. Pois é, tu me acostumbraste a todas esas cosas, y tú me enseñaste que son maravillosas. Sútil llegaste a mí como una tentación, llenando de ansiedad mi corazón. Yo no comprendía cómo se quería, en tu mundo raro y por ti aprendí. Por eso me pregunto al ver que me olvidaste. por qué no me enseñaste cómo se vive sin ti.

[foto Gaia Degli Esposti]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s