LUGAR COMUM

É comum a gente ver na tela da TV Globo, repórteres cobrindo uma crise na Venezuela, diretamente de Buenos Aires, um furacão nas Filipinas diretamente de Tóquio, uma manifestação no Boulevard Saint Germain diretamente da Terra da rainha. Os enviados especiais estão cada vez mais raros. Um posto em Londres cobre toda a Europa e um outro em Tóquio cobre toda a Ásia. É comum a gente ver o repórter fazendo sua passagem na porta da embaixada da Arábia Saudita, em Brasília, falando da crise do petróleo depois de um ataque a uma refinaria. Na semana passada, vimos um desses casos que ficamos em dúvida se era para enganar o telespectador ou uma lampejo de “criatividade”. O Jornal Hoje mostrou uma boa reportagem sobre a pandemia de coronavírus que está ameaçando os povos Yanomamis, caso não haja uma política para proteger os indígenas. Boas imagens, o repórter ia narrando com precisão. Mas, quando chegou a hora da passagem, ele aparece no meio do mato e o crédito: Vinícius Leal, Brasília. O que o queriam com isso? Enganar o telespectador, para parecer que ele estava lá no meio dos Yanomamis? Onde o repórter estava? No Parque da Cidade? Na periferia? Num acostamento de estrada? Não, num mato em Brasília falando dos Yanomamis, lá no Norte do Brasil, a bem mais de mil quilômetros dali. 

[foto Reprodução/TV Globo]

Um comentário em “LUGAR COMUM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s