SEXTOU

Era assim. Inventaram recentemente a palavra sextou e quando chegava a sexta-feira, a gente sextava. Pensava naquela cervejinha gelada depois do trampo e enxergava pela frente um sábado inteiro, um domingo inteiro. Fazer o quê? Acordar mais tarde, ler com calma os jornais, fazer sacolão, nenhuma preocupação em fazer a cama, poderia ficar pra mais tarde. O café da manhã também era mais pensado, mais lento, porque era sábado. Um ovo quente, mexido ou frito mesmo. Sacolão feito, o almoço hoje poderia ser fora. Ficava pensando nos restaurantes com preços justos, escolhia um. Não importa se o Ritz, o Ráscal, o Modi ou Le Jazz. Tínhamos a tarde livre para passeio. Uma exposição no Moreira Sales, um pulo na Livraria da Vila, uma rede, um bom livro. Era sábado, pô! E ainda tinha um domingo inteiro pela frente. Domingo era dia abrir a porta e receber os amigos, muitos, do peito. O dia inteiro falando de jornalismo, de viagens, coisas sérias e bobagens. Sábado era sábado e domingo era domingo. Domingo era um dia sagrado: nunca aspirar a casa, nunca ligar a máquina de lavar roupas, nunca ver o Faustão. O fim de semana está chegando. Vou abrir as janelas pra que entrem todos os insetos. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s