PLUCT PLACT ZUM

Imagine de repente a gente virar um drone, ultrapassar a janela, alcançar uma altura imune ao corona, observar a vida lá de cima. Sobrevoar São Paulo inteira, do Jardim Europa ao Jardim Ângela. Queria ir até Cataguases, sobrevoar a Praça Santa Rita. o campo do Flamenguinho, o Rio Pomba. Chegar a Belo Horizonte, observar a avenida do Contorno, as ruas simétricas dentro dela e o caos do lado de fora. Rio de Janeiro, a praia de Ipanema, a Praça Nossa Senhora da Paz, a Cena Muda, passar raspando nos braços abertos do Cristo sobre a Guanabara e chegar a Duque de Caxias. Queria sobrevoar São Miguel dos Milagres, o Mercado Ver o Peso de Belém do Pará, o Teatro Amazonas. Queria ir a Paris só pra ver se a Place des Voges já está florida, ver os meninos correndo no Jardin du Luxembourg, as verdejantes Tulherias, como dizem aqui. Queria sobrevoar os canais de Amsterdam, as plantações de tulipas, a estátuas vivas na Rambla de Barcelona, a Sagrada Família, o Holand Park de Londres, o design de Viena, as ruas de Abidjan onde as mulheres vendem sopa de pimenta, ver de perto as ruínas de Atenas, a Ponte Vecchio de Florença, o Mercado de Montevidéu, a beleza dos balões no céu da Capadócia, os cubanos dançando salsa nas praças públicas de Havana, queria sim chegar ao Museu da Memória em Santiago do Chile.  

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s