BREGA & CHIQUE

De tempos em tempos, cinco meses depois, cai o brega no meu colo. Eu preciso te falar, te encontrar de qualquer jeito, pra sentar e conversar depois de andar de encontro ao vento. Eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia, e na pele quero ter, o mesmo sol que te bronzeia. Se você pretende saber quem eu sou, eu posso lhe dizer, entre no meu carro na estrada de Santos e você vai me conhecer. Fuscão preto, você é feito de aço, fez o meu peito em pedaço, também aprendeu a matar. Hoje eu acordei com saudades de você, beijei aquela foto que você me ofertou, sentei naquele banco da pracinha só porque foi lá que começou o nosso amor. Em vez de você ficar pensando nele, em vez de você viver chorando por ele, pense em mim, chore por mim, liga pra mim, não, não liga pra ele. Eu lavo e passo, sirvo a mesa e faxino, aprendo e te ensino, posso até dirigir, comprar um táxi só pra lhe servir. Deixo de ser coruja pra ser sua cotovia e só viver de dia pra você ser feliz. 

[ilustração/Obra de Georgia O’Keeffe]

[Músicas citadas: Um dia de domingo, As curvas da estrada de Santos, Fuscão Preto, A praça, Pense em mim, Mas I love you]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s