DEUS É GRANDE!

Ele se sentia pequenininho perto dela, em todos os momentos do dia. Desde que acordava e, de pé, via na penumbra seu corpo enorme tomando conta de oitenta por cento da cama. Corria o dia inteiro assim, ele minúsculo, ela gigante. Nos atos, nos fatos, nas sacadas pra resolver grandes e pequenos problemas. Ele escrevia poemas enquanto ela olhava pela janela e sabia que a chuva vinha. Fechava as janelas, ele se recolhia. De tempos em tempos iam ver o mar. Ele virava um grão de areia e ela, zambetando pra lá e pra cá, uma maria farinha.

[Alberto Villas, com ilustração de Isabella Mazzanti] 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s