SEM NOÇÃO DO RIDÍCULO

Tudo vai passando meio despercebido em nosso país. A imprensa pesca uma frase aqui, outra ali, para informar aos leitores sobre a live de todas as quintas-feiras do presidente Bolsonaro. Nós salientamos aqui o ridículo que é um presidente da República colocar, toda semana, uma caixinha de Reuquinol em cima da mesa.

[foto Reprodução/Youtube]

SEGUE O SECO

Muito me impressiona o mandacaru desde Vidas Secas, desde os retirantes de Portinari. Aquele que quando flora lá na seca é o sinal que a chuva chega no sertão. Tenho um em casa há mais de dez anos. Deu flor apenas uma vez e nunca mais, nunca soube porque e sempre espero ao menos uma, tão bela, quando chega a primavera. Sei que o mandacaru não gosta de água, rego a cada quinze dias. Isso é que me impressiona, o viver sem água durante tanto tempo. Nesses dez anos e pouco, ele cresceu uns vinte centímetros. Pelas minhas contas, lá pelo ano 2030 vai chegar ao teto e ai não saberei o que fazer com ele. Ou comigo. Faça sol, faça chuva, ventania branda ou vento bravo, o mandacaru é sempre o mesmo. Não amarela, não balança, não murcha. É um forte. Desde o início da pandemia, da quarentena, do confinamento, ele é o mesmo. Não importa se tem flexibilização, jogo sem público, gente com máscara, jovens nos bares do Leblon, álcool gel nas mão, laranjas lavadas com água e sabão. Com o mandacaru não tem surpresa. Só isso.

UM CHECK-UP DA IMPRENSA

O Pantanal pegando fogo, a Amazônia sendo destruída, as tenebrosas transações sendo feitas com o centrão, a rachadinha cada vez mais rachadura, a educação indo pro ralo e a aprovação do presidente da República em alta.

O segredo: ficar calado, não fazer nada, pedir a seus ministros para mentir e distribuir dinheiro pro povo

“Os jovens podem ficar tranquilos porque estão livres disso aí” (Bolsonaro, março/2020)

O Cristo Redentor sendo higienizado é destaque na foto da primeira página

Quanto mais escândalo, mais sobe a popularidade do presidente no Datafolha

A agonia da Cinemateca na capa da Ilustrada

O retrato da Justiça brasileira: prende, solta, prende… quem vai mandar soltar?

O Supremo Tribunal Federal alerta: é preciso cumprir a lei!!!

O Pantanal em chamas é a foto de destaque na primeira página

Ser um sem-teto ou não ser um com teto. Eis a questão

A descoberta do óbvio

De repente, o velho e bom lagostim

O Cristo se preparando para receber de volta os turistas também na primeira página do Estadão

Moro e Dallagnol com os dias contados, na capa da Carta Capital. Na capa da Veja, Bolsonaro sem rumo

O site do bispo Edir Macedo só se interessa por quem sobreviveu, aqueles que vão à Igreja do Reino de Deus deixar parte do seu salário

A revista Zum, publicada pelo Instituto Moreira Salles, chega ao seu número 18 sem perder a beleza e a importância jamais

Na capa da alemã Der Spiegel: Usar máscara é desagradável, é incômodo, é chato, mas e a única esperança. E o mundo de olho na China, na capa da britânica The Economist

A mais perfeita tradução do cartunista Nado Motta

 

 

 

 

LARANJA

A coisa mais comum no Brasil é mandar prender e mandar soltar pessoas. Na noite de quinta-feira (13), o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), Félix Fischer, revogou a prisão domiciliar do motorista e ex-assessor de Flávio Bolsonaro, o famoso Fabricio Queiroz, que vinha cumprindo prisão domiciliar juntamente com a mulher, Márcia Aguiar, que também vai voltar pra cadeia. Márcia é um caso a se estudar nas escolas de Direito. Foragida e procurada pela polícia, de repente, ganhou prisão domiciliar. Ela simplesmente voltou pra casa. Queiroz e Márcia devem voltar pra prisão amanhã, sexta-feira, mas até lá muita coisa pode acontecer.

 

 

 

FILME TRISTE

Quem se lembra daquela live do presidente Bolsonaro, ao lado da atriz Regina Duarte demitida, em frente ao Palácio da Alvorada. Quem se lembra da promessa do presidente da República em dar para ela o comando da Cinemateca de São Paulo? Pura balela. Depois que retomar o controle da Cinemateca, o governo federal anunciou nesta quinta-feira (13), a demissão de todos os 41 funcionários. A entidade informou simplesmente que não tem como pagar os funcionários. De nada adiantou as manifestações nos últimos dias em frente à entidade.

BREGA & CHIQUE

De tempos em tempos, cinco meses depois, cai o brega no meu colo. Eu preciso te falar, te encontrar de qualquer jeito, pra sentar e conversar depois de andar de encontro ao vento. Eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia, e na pele quero ter, o mesmo sol que te bronzeia. Se você pretende saber quem eu sou, eu posso lhe dizer, entre no meu carro na estrada de Santos e você vai me conhecer. Fuscão preto, você é feito de aço, fez o meu peito em pedaço, também aprendeu a matar. Hoje eu acordei com saudades de você, beijei aquela foto que você me ofertou, sentei naquele banco da pracinha só porque foi lá que começou o nosso amor. Em vez de você ficar pensando nele, em vez de você viver chorando por ele, pense em mim, chore por mim, liga pra mim, não, não liga pra ele. Eu lavo e passo, sirvo a mesa e faxino, aprendo e te ensino, posso até dirigir, comprar um táxi só pra lhe servir. Deixo de ser coruja pra ser sua cotovia e só viver de dia pra você ser feliz. 

[ilustração/Obra de Georgia O’Keeffe]

[Músicas citadas: Um dia de domingo, As curvas da estrada de Santos, Fuscão Preto, A praça, Pense em mim, Mas I love you]

UM CHECK-UP DA IMPRENSA

Que país é este em que um político acusado de lavagem de dinheiro precisa pedir autorização da Justiça para poder viajar representando o governo?

Todos os dias uma acusação contra o clã Bolsonaro, a pilha de denúncias vai só aumentando e nada mais

Começamos a contar nos dedos os governadores que ainda não contraíram o Covid

Finalmente alguma coisa na primeira página para nos distrair um pouco

Na foto em destaque na primeira página, o Pantanal em chamas, retrato do Brasil 

Na página A2, Benett!

Na página A10, a força das mulheres nas ruas de Minsk, capital da Belarus

Além da Amazônia e do Pantanal, o Posto Ipiranga também está em chamas

Já pensou o que é preencher um cheque de 1 bilhão de reais sabendo que tem fundo?

Silêncio! Mulheres trabalhando em nome da ciência

Vira-e-mexe, as tais reformas voltam à manchete principal

Lembra de Bolsonaro falando que acabou a mamata? Que não ia ter esse negócio de toma lá, dá cá?

Chico Caruso, na primeira página

Ao lado de Maia e Alcolumbre, Bolsonaro não costuma tirar a máscara

•••••

A senadora Kamala Harris, vice na chapa de Biden, em primeiro plano na primeira página do New York Times

Na capa do suplemento semanal de ecologia do diário comunista italiano Il Manifesto, “Terra e Fogo”

O cartunista Serko, acertando na mosca!

 

 

 

LITERATURA

“Ao longo de 18 anos, a curadoria da Flip jamais foi ocupada por uma pessoa negra. Passou da hora disso mudar. Por essa razão, decidi pedir demissão e declarar meu desejo de ceder esse espaço de privilégio de forma pública.” Foram com essas palavras que a editora Fernanda Diamant pediu demissão da curadoria da Festa Literária Internacional de Paraty, a Flip. Fernanda, que planejava ter a metade dos convidados da Flip deste ano de autoras e autores negros mostrou-se insatisfeita com a decisão da Flip, sem consultá-la, de marcar a festa literária para novembro. Com a chegada da pandemia, Fernanda disse, na época, que era ainda cedo para marcar uma nova data para feira, inicialmente marcada para começar no dia 29 de julho. 

 

VÍRUS

O governador de São Paulo, João Doria, informou, via Twitter, no início da tarde desta quarta-feira (12), que testou positivo para o coronavírus. Doria disse em sua mensagem: “Seguindo o princípio da total transparência com que temos lidado com a pandemia, informo que fui diagnosticado com Covid-19. Estou bem, sem sintomas. Seguirei trabalhando de casa, cumprindo as recomendações médicas de isolamento. Tenho fé em Deus que vou superar a doença”. Ele deve continuar trabalhando em casa e ficará em quarentena por duas semanas. Na madrugada de hoje, morreu no Hospital Regional de Santa Maria, no Distrito Federal, vítima do coronavírus, a vó de Michelle Bolsonaro, Maria Aparecida Firmo Ferreira. Ele tinha 80 anos e estava internado desde o dia primeiro de julho. 

SENHORES PASSAGEIROS!


Fugir pra onde? Só se for pra Pasárgada, onde sou amigo do rei. Quem sabe pra Maracangalha? E se a Anália não quiser ir, eu vou só. Fugir como? A pé, de carro, de ônibus, de avião, bicicleta ou caminhão? Quem sabe eu vou pegar aquele velho navio? Pensei, pensei, peguei o mapa mundi, olhei, olhei. Eu não tenho para onde ir. Quem sabe eu vou pra lua, eu mais minha muié. Lá, construir um ranchinho todo feito de sapé. Faça sol ou faça chuva eu vou fugir, nem que seja na lógica do pensamento. Olho em volta e vejo tantos bens materiais, meus discos e meus livros. Olha, pensando bem, eu só deixo a minha São Paulo no último pau de arara.

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA

Se você tiver estômago para ver o outro lado da notícia, um lado sacana, canalha e mentiroso, não perca o programa Os Pingos nos Is, no ar diariamente na rádio ultra-direitista Jovem Pan. De Augusto Nunes, ouvimos:

O Supremo Tribunal Federal não deixou o presidente da República agir contra o coronavírus

Os culpados pelos mais de cem mil mortos são os governadores e prefeitos

O isolamento social não evitou a morte de ninguém

Os apresentadores de telejornais são atores

Eles parecem ter sentimento, mas não sentem nada

De Guilherme Fiuza ouvimos:

Não existe prova de que o lockdown é eficiente

Depois que houve a flexibilização, o número de mortes diminuiu

Está provado que quem circula nas ruas, tem menos chance de pegar o vírus

O que o presidente Bolsonaro disse foi exatamente a mesma coisa que o Doutor Drauzio Varela

Detalhe: observe na tarja do programa Pingos nos Is que o coronavírus é chamado de “vírus chinês”.

 

 

 

 

 

 

UM CHECK-UP DA IMPRENSA

Enquanto a Rússia anuncia a primeira vacina contra o coronavírus, o mundo olha desconfiado para Vladimir Putin. Enquanto economistas abandonam o Titanic do ministro da Economia, Paulo Guedes, o candidato democrata às eleições americanas, Joe Biden, escolhe uma senadora negra para ser vive em sua chapa. 

Na corrida pela vacina contra a Covid-19, a Rússia lança um Sutnik V

Enquanto a orquestra continua tocando a música…

Nasce uma estrela: Kamala Harris

Na foto em destaque na primeira página, a “Amazônia intacta” do presidente da República

Sem comentário

É só acrescentar a frase na letra da canção “Pega na Mentira”, de Erasmo Carlos, aquela que diz: “Zico tá no Vasco/Com Pelé”

Na foto em destaque, paulistana corre tranquila na rua. Branca e em bairro nobre

Veja comentário um pouco mais acima

Uma chamadinha discreta mostra mais uma tragédia na educação brasileira

Será que os cariocas que não conseguem se entender num bar do Leblon, vão conseguir se entender na praia?

Na foto em destaque, a quarta-feira de cinzas na Amazônia

 

O Globo registra a morte do cantor Trini Lopez, aos 83 anos, vítima do Covid-19

••••••••••

A vacina Sputinik V na capa do jornal russo Izvestia

A tragédia libanesa na capa da britânica The Guardian Weekly

O rapper Qué Pequeno na capa da Rolling Stone italiana

 

 

 

 

KAMALA HARRIS

O candidato democrata às eleições americanas, Joe Biden, anunciou através das redes sociais na tarde desta terça-feira (11), que a senadora da Califórnia, Kamala Harris, será a candidata à vice em sua chapa. Política é assim. Quando todos esperavam o pronunciamento do presidente da República, Donald Trump, depois do anúncio da vacina russa Sputinik V, Biden resolveu roubar a cena anunciando uma senadora negra, atuante, popular, de pai jamaicano e mãe indiana, para ser sua vice. Só se fala nisso na América. 

MENINOS DO BRASIL

Estão matando os meninos pretos da periferia do Brasil. Não, não são invisíveis, são de carne, osso, alma e sangue escorrendo na calçada. Matando a queima-roupa, sem perguntar o nome, o numero do CPF, o nome do pai, o nome da mãe. Basta estar na rua e carregar a cor preta que é suspeito número um, de crime algum. Estão ferindo o coração de mães, como aquela que guardou o bolo de aniversário do Rogério na geladeira para não derreter, para comer mais tarde depois do parabéns. Daqui a pouco, ela vai aparecer na televisão soluçando, pedindo justiça e nada mais. Como Pedro Pedreiro, que não vem, que não vem. A nota pé, a nota seca, vai informar que os policiais foram afastados do serviço de rua e que tudo vai ser apurado. Vai nada, a gente sabe. E amanhã vai ter outro Rogério morrendo de susto, de bala ou vício, caindo sangrando na calçada esburacada de um bairro que não está no mapa. E o governador vai aparecer ao vivo e em cores dizendo que esta não é a norma da policia, que repudia o ato, prometendo julgamento dos culpados, que vão responder pelos seus atos. Vão nada! O boi já está dormindo. 

Ilustração/Obra de Kevin Lee]