O SOL DE QUINTA-FEIRA

Será que o presidente da República se lembra de ter dito, lá no início, que tratava-se de uma gripezinha?

O governador de São Paulo inventou uma nova expressão: Toque de Restrição

Alberto Benett na página A2

Na foto em destaque na primeira página, o retrato do Brasil

Não é fase amarela, laranja, vermelha ou preta. A fase agora é a pior

Preocupados com suas falcatruas, alguns deputados querem garantir que não serão presos

Na foto em destaque na primeira página, os olhares de medo, angústia e tensão em busca de uma vacina

No Caderno 2, destaque para Arrancados da Terra, o novo livro de Lira Neto

O número assustador de 250 mil mortes ocupa quase toda a primeira página

Djamila Ribeiro na capa da Forbes Brasil

A abertura lenta e gradual de Boris Johnson na capa da New Statesman

Como a Austrália está peitando o Facebook é o assunto de capa da Guardian Weekly

Na capa da italiana Mind, a revolução no trabalho nos tempos de pandemia

Sabemos que faz parte do jogo, faz parte do contrato, no day after, a eliminada do BBB amanhecer no programa Mais Você, de Ana Maria Braga. Eliminada na noite anterior com 99,17% dos votos, Karol Conká estava lá, poucas horas depois do massacre. Enquanto a apresentadora tomava o seu café da manhã em São Paulo, Karol estava ao lado da tela, no Rio de Janeiro, com uma cara tipo o que é que eu estou fazendo aqui? A primeira pergunta foi bem made in Ana Maria: Dormiu bem? Como se não bastasse, a entrevista foi toda pontuada com imagens e áudios dos grandes vexames de Karol dentro da casa. Ela piscava os olhos vagarosamente e teve um momento que disse tudo: Meu Deus! Estou aqui passando vergonha em rede nacional! Enfim, tudo pelo Ibope!

Quando a opinião do Sol não bate com a da colunista do Globo, Patricia Kogut

E Karol continuou sendo o assunto do programa seguinte, o Encontro. O programa foi pra rua colher opiniões do povo: Que conselho você daria para Karol Conká? Menos, né?

O Sol viu e gostou de Gal cantando Baby acompanhada de Tim Bernardes, no Conversa com Bial

NA FOLHA DE S.PAULO:

Em entrevista na TV247, o ex-presidente Lula recomendou aos brasileiros a leitura do livro Torto Arado, de Itamar Vieira Junior

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SOL DE QUARTA-FEIRA

História sem Fim

Não vai fazer falta nenhuma em Brasília

Agora só faltam as vacinas

Mundo cão na foto em destaque da primeira página

O fim de uma Geração

Só poderia ter sido pintado por um louco

Novela sem fim

Vai começar a grande liquidação de um país chamado Brasil

À noite todos os vírus são pardos

Não vai dar praia! Esta é a foto em destaque na primeira página.

Este processo parece mais uma brincadeira

Na foto em destaque na primeira página, uma história recorrente. Se você consultar uma coleção do Globo, vai encontrar este assunto de tempos em tempos na primeira página.

Não, não tem clima algum. Está indo tudo de vento em popa, Lira! Tudo nos conformes.

O acidente com Tiger Woods na primeira página do Wall Street Journal 

De repente, ver Trump na capa de uma revista parece revista velha. Não! Esta é a edição de março/abril da ótima Mother Jones.

Antigamente chamávamos de… Par de Vasos

 

 

 

 

 

 

O SOL DE TERÇA-FEIRA

Não são apenas os indicadores que estão derretendo, e sim o país como um todo

Isso significa que Jair Bolsonaro é ninguém

Quem vê a cidade pela janela, parece que nada está acontecendo

Tudo é possível neste país, até Luciano Huck flertar com a esquerda

Na foto em destaque na primeira página, o Dia das Muçulmanas

Foto enigmática, misteriosa, corajosa e verdadeira

O sonho acabou!

O presidente Bolsonara, nervosinho, toma atitudes sem medir as consequências

Na foto em destaque na primeira página fica a impressão de que Bolsonaro quer visitar o Acre antes que acabe

Lá vai o Brasil descendo a ladeira…

Que fase!

Um a zero!

A vida pessoal e polêmica de Wood Allen no centro das atenções

O jornal Le Monde coloca o Brasil na primeira página e faz uma reportagem de página inteira sobre um presidente da República que nega a vacina. Estarrecedora!

Perguntamos: quando teremos uma manchete assim aqui no Brasil? Alguém consegue enxergar uma luz no fim do túnel por aqui?

Enquanto a imprensa brasileira cala-se diante da África, o Le Monde publica diariamente grandes reportagens sobre a Covid no continente

Na capa do USA Today: 500 mil mortos nos Estados Unidos

Vimos e gostamos de ver Tereza Cristina no Roda Viva, na noite de segunda-feira. Histórico o final do programa, quando ela disse, antes de cantar 2 de Junho, música-homenagem ao menino Miguel, filho de uma faxineira, que caiu de um prédio de luxo em Recife: “Eu quero dedicar essa música a Lula, Boulos, Freixo e Flávio Dino! Nós precisamos nos unir para derrotar esse monstro!”

Procure o episódio sobre o futuro do Jornalismo. Vale a pena.

O Libération é ousado. Colocou na capa da edição de hoje, o fim da dupla Daft Punk.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O SOL DE SEGUNDA-FEIRA

O mundo inteiro querendo vacinar, enquanto o Brasil tem um presidente da República que não faz a menor questão

O candidato da esquerda obteve 32,7% dos votos e o da direita, 19,74

Já percebeu o governo Federal injeta o mínimo de dinheiro possível em tudo que ele não gosta?

Resumindo: Casa da Mãe Joana

Os militares são historicamente contra privatizações. Resumindo: Bolsonaro pode ter entrado numa fria ao indicar um general pro comando da Petrobras.

Detalhe: prevê!

Na foto em destaque na primeira página, uma São Paulo menos cinza

Quando o governo federal não funciona, ações particulares tentam salvar a floresta. Veja o clipe de Gilberto Gil no final desta edição.

 

Resumindo: encrenca!

Daniel Silveira e Flordelis são flores que não se cheiram

Na foto em destaque na primeira página, Gabigol na hora do gol que colocou o Flamengo em primeiro lugar no Brasileirão

Por aqui, continuamos com uma média diária de mil mortos

Enquanto a elite sai da capital para o interior (capa da revista Época), o presidente da República curte a vida adoidado (capa da IstoÉ)

A revista Placar, lançada pela Editora Abril em 1970, ano glorioso do tri-campeonato mundial, já passou por inúmeras fases. Hoje, ela deixou de ser aquela revista semanal de informação esportiva dos anos 1970, para ser uma publicação mensal e inteligente. Cada número é um banho de informação e bons textos.  A edição que está nas bancas prova isso. Um trabalho minucioso para chegar a exalação da melhor seleção brasileira de todos os tempos.

Na primeira página do New York Times, cada pontinho representa uma morte, uma perda, uma vida que se foi, vítima da Covid

Bill Gates na capa da revista do jornal El País, alertando para as mudanças climáticas

Pela primeira vez na história, um restaurante vegano ganha estrela do Guia Michelin. Trata-se do restaurante ONA, na região de Gironde, na França.

Na capa da alemã Der Spiegel, a preocupação com a natureza e a alimentação do mundo nesses tempos de pandemia

Na capa da Il Venerdì, a revista do jornal La Repubblica, o novo desenho animado da Pixar, que se passa em Cinque Terre, um dos lugares mais lindos do mundo.

Seis minutos e 50 segundos é uma eternidade em televisão. E foram seis minutos e 50 segundos que o Jornal Nacional usou para homenagear os 100 anos da Folha de S.Paulo, na edição de sexta-feira (19). É um acontecimento raro na imprensa brasileira, um órgão de imprensa homenagear o concorrente. O jornal O Globo, também na edição de sexta, publicou matéria sobre o centenário, além de um anúncio de página inteira na Folha, dando os parabéns. A matéria do JN foi completa e inclusive citou que o jornal paulista (como o Globo), apoiou o golpe militar em 1964. É a imprensa brasileira se unindo contra um presidente da República que odeia jornais, revistas e telejornais. E livros.

PARA OUVIR:

https://www.quatrocincoum.com.br/br/podcasts/repertorio-451-mhz/tom-ze-tropicalista-no-ultimo

Sim, o Sol gostou do título da matéria da seção Paladar, do Estadão, com receitas de goiaba

Tudo começou a dar errado logo no primeiro dia do ano de dois mil e dezenove, quando aqueles cavalos, revoltados, empinaram na Praça dos Três Poderes. Assustados, fizeram cocô ali mesmo no asfalto, espalhando um mau cheiro pela Esplanada dos Ministérios.

PARA CONTINUAR LENDO:

https://www.cartacapital.com.br/opiniao/cronica-por-enquanto-tudo-vai-dando-errado/.

(para acessar, retire este ponto final do link)

Gil entra na luta pelo reflorestamento do país. Ouça!

 

 

O ESTRANGEIRO

Eu não sou daqui, minha gente, e sei disso. Sou do ouro, sou Minas Gerais. Cheguei na maior cidade da América do Sul num dia primeiro de abril e nada entendi. O ônibus estacionou numa das rodoviárias mais feias do mundo, toda forrada de vitrôs coloridos. Batia muito sol e refletia no chão, onde depositei minha mochila, pouca roupa, vim pra passar poucos dias e fiquei. Já se foram quarentena e um anos e eu ainda confundo Heitor Penteado com Teodoro Sampaio. Quando alguém me fala sabe ali na altura da ponte do Piqueri, eu não sei. Como não sei onde fica o MBoi Mirim e não faço a menor ideia onde está a Jacu pêssego. Não dirijo, mas já tive um daqueles guias enormes de ruas da cidade. Ficava assustado quando encontrava o nome da rua e via que estava localizada na página 450, no quadradinho B5. Gosto de mapas, mas sempre acho que eles estão do lado errado. Higienópolis, onde morei muitos anos, conheço bem. Como a Lapa também. Mas conheço pouco São Paulo. Conheço mais Belo Horizonte, onde passei 22 anos, Paris onde passei uma década, Brasília onde morei dois anos. Aqui já são 41. Amo São Paulo. Apesar de todos os defeitos, te carrego no meu peito. Ainda bem que Waze é um nome feio mas é o melhor meio de se chegar.

Músicas citadas: Irene (Caetano Veloso), Pra Lennon e McCartney (Milton Nascimento), São São Paulo (Tom Zé), Pela Internet (Gilberto Gil)

O SOL DO FIM DE SEMANA

Em festa, o jornal coloca o seu centenário na manchete principal

Uma besta em maus lençóis

Ô coisinha mais bonitinha do pai…

Na foto em destaque na primeira página, exposição marca os 100 anos da Folha

Folha, 100, na capa da Ilustrada

Nada mais incoerente para um país que só reconheceu a vitória de Biden como presidente, mais de um mês após as eleições

Quando a Economia fala mais alto

Na foto em destaque na primeira página, ao vivo, direto de Marte

Pelé & Política nunca se deram bem

Ele deveria estar no zoológico, com todo respeito aos animais

Na verdade, Bolsonaro ameaça o país

Um número redondo que assusta

Ainda resta uma esperança

Sem palavras

Fato raro na imprensa brasileira: um jornal falando bem do concorrente

Vem aí o esperado livro de Tatiana Salem

Enfim, a mamata continua

A prisão do deputado bolsonarista na capa da Veja

O Sol gosta e lê o jornal O Público todos os dias

Na capa da Economist, o sonho de uma América mais limpa

A Time circula esta semana com várias capas. O número especial 100 personalidades do mundo, inclui os brasileiros Guilherme Boulos e a cantora Anitta

MAURICIO STYCER

Estreou esta semana sem maior alarde na HBO o documentário “Yusuf Hawkins: Tempestade sobre o Brooklyn”. O filme reconstitui um crime motivado por racismo ocorrido em Nova York, em 1989, mostrando a enorme repercussão que alcançou e o impacto que teve nas eleições para a prefeitura da cidade.

Yusuf Hawkins tinha 16 anos. Em 23 de agosto de 1989, ele e outros dois amigos negros foram cercados e atacados por um grupo de cerca de 20 adolescentes brancos ao passarem num bairro próximo ao que moravam. Os agressores portavam tacos de beisebol; um deles, armado, atirou, causando a morte de Hawkins.

Mais do que expor o drama familiar que causa e a investigação policial do crime, o documentário de Muta’Ali reconstitui a mobilização da comunidade negra de Nova York em busca de Justiça.

Sob a liderança do reverendo Al Sharpton, entre meados de 1989 e 1991, foram realizadas 20 passeatas no bairro em que ocorreu o crime. Como diz Sharpton, o objetivo é constranger quem vive na região. Imagens da época expõem o incômodo que essa movimentação causou. “Não somos racistas, só não gostamos de negros”, diz um morador durante um dos atos.

Em 1989, por coincidência, foi lançado o filme “Faça a Coisa Certa”, de Spike Lee, que retrata justamente a complexa convivência entre negros e ítalos-americanos no Brooklyn.

Em 1990, David Dinkins tornou-se o primeiro, e até hoje único, negro eleito prefeito de Nova York, derrotando Ed Koch, que comandou a cidade por três mandatos seguidos, entre 1978 e 1989.

O autor dos disparos foi identificado e condenado a 32 anos de prisão. O homem que organizou o ataque aos jovens negros foi condenado a 16 anos (cumpriu a metade). Outros três participantes foram condenados a penas menores.

Uma live de quinta. Bolsonaro finge que está tudo bem, sorri e não toca na prisão do seu amigo Daniel Silveira

Quer ver o comentarista de direita Augusto Nunes irritado, é falar que o Boulos está na Time. Ele disse na Rádio Jovem Pan, entre outras bobagens: “Quer saber notícias do Brasil, não leia a Time”

Uma edição luxuosa e primorosa da Record reúne seis contos do escritor colombiano Gabriel García Márquez, ilustrados por Carme Solé Vendrell

Estamos ouvindo Elza Soares cantando Divino Maravilhoso, algumas músicas de Adriana Calcanhoto remixadas, Mosca cantando Tô, de Tom Zé, e Moreno cantando Fullgás. Vale a pena ouvir de novo. Tudo no Spotify.

 

O SOL DE QUINTA-FEIRA

A prisão de um tal Daniel o que? ganha as manchetes dos três principais jornais do país

Esqueceram de noticiar a prisão do cantor Belo na primeira página

Sem perder a truculência jamais!

Lição que aprendemos no curso de Jornalismo: quando não cabe no título a palavra Ministério da Saúde, colocamos Pasta. Fica meio esquisito, não é mesmo?

Todos os moradores de Serrana, no estado de São Paulo, serão vacinados, até mesmo debaixo d’água

Foi um vexame para o deputado, maior que aquele 7 a 1

O que o brasileiro não faz para dar um jeitinho?

Parem de fazer bagunça!

O sucesso do meu amigo Charlie Brown chega a AppleTV

11 a 0 em poucos minutos de jogo e nem precisou de VAR

Tudo neste governo é mais ou menos

Finalmente alguém lembrou do cantor Belo

In Fux…

Quem?

Apenas a imprensa alternativa toca no assunto

A guerra contra a verdade na capa da inglesa New Statesman

O fascínio por Marte na capa da National Geographic americana

A revolução do genoma na capa da Nature

PARA LER, basta acessar o site da revista Piauí

Ler no Monde a iminente falência da Livraria Gilbert Jeune é de cortar o coração de toda uma geração

Vale quanto pesa!

 

 

 

 

POR 11 A 0, MINISTROS DO STF DECIDEM MANTER DEPUTADO NA CADEIA

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu na tarde desta quarta-feira (17), por unanimidade, manter na cadeia um dos mais desqualificados deputados federais que o país já teve, Daniel Silveira, do PSL carioca. A decisão de prendê-lo foi do ministro Alexandre de Moraes, na noite de terça-feira (16), depois de o deputado divulgar um vídeo desqualificando os ministros do STF e fazendo uma defesa do AI-5, o mais abominável ato institucional decretado durante a ditadura militar. Agora, a Câmara dos Deputados vai decidir o futuro de Daniel, aquele que, um dia, quebrou em praça pública uma placa com o nome de Marielle Franco, vereadora do Rio assassinada em março de 2018. 

O SOL DE QUARTA-FEIRA

Resumindo: não vai ser tão fácil assim para Bolsonaro

Nunca um militar de pijama fez tanto alvoroço

Nem precisava de estudo, tá na cara!

No Brasil, empurra-se vacina com a barriga

Na foto em destaque na primeira página, vista assim do alto, Araraquara mais parece uma cidade fantasma

Parou por quê? Por pura incompetência do governo de Bolsonaro

Imagine sem lockdown…

Na foto em destaque na primeira página, uma cena rara: Atenas branca de neve

Na capa do caderno Na Quarentena, o magistral trabalho de Marina Amaral de colorir fotografias de Billie Holiday

A mais perfeita tradução de um governo incompetente

Na foto em destaque na primeira página, o relançamento da biografia de Marilyn Monroe, revista e ampliada

Foto publicada na primeira página do diário cubano Granma desta quarta-feira

A nigeniana Okonjo-Iweala , nova diretora-geral da OMC, na primeira página do Financial Times

Na capa da revista argentina Caras Y Caretas, como é e como era a vida nos tempos da peste

Sim, foi engraçado, inusitado e foi um bom serviço, Pedro Bial entrevistar o Zé Gotinha