UM PASSEIO PELA MINHA BH

Uma volta pela cidade para matar a saudade

O Edifício Niemeyer, na Praça da Liberdade, cartão postal que não poderia passar em branco

A intervenção urbana, presente nas esquinas do clube

Os grafitis que se espalham pelos muros

As peças de chita, a cara de Minas

Os irresistíveis queijos no Mercado Central

Mil tipos de pimenta, outra marca registrada

As livrarias de rua, o charme que ainda resiste. Aqui, a Dom Quixote

A coleção BH, a cidade de cada um, para quem quiser conhecer o coração da cidade. O volume 13, Carmo, foi escrito por este cronista

[fotos Alberto Villas]

A CAPA

O Brasil tem dessas coisas. Muitas vezes, um produto interessante é pouco ou quase nada conhecido do grande público. Outro dia perguntei quem conhecia a Quatro Cinco Um, sem dizer que era uma revista mensal de literatura. Poucos conheciam. No entanto, ela está no mercado há mais de um ano. Não sei se todos conhecem A Capa, um jornal que só tem capa, não tem conteúdo.  Está todo dia aqui no mundo online, sempre com uma surpresa, um toque criativo de publicitários e afins. Vale a pena conhecer. Procure A Capa no Facebook. Vai ter uma boa surpresa. Bem como a Quatro Cinco Um.

[AV]

FAMOSO QUEM

Pouco se falava do cantor sertanejo Eduardo Costa, a não ser no meio artístico, digamos, rural. Mas o Brasil tem dessas coisas. Bastou Costa rasgar o verbo contra a apresentadora do programa Amor & Sexo, Fernanda Lima, para ele ganhar as páginas dos jornais. Fernanda, que fez uma espécie de editorial feminista (muito bacana, por sinal) no programa, foi atacada por Eduardo Costa que a chamou, inclusive, de imbecil. Bastou isto, para Eduardo Costa ficar famoso, dando até entrevista ao jornalista Pedro Bial, no programa Conversa com Bial, coisa inimaginável há dois meses. Parece que ele percebeu que, em nosso país, basta falar merda que fica famoso. Poucos dias depois, quando a história com Fernanda Lima (que abriu dois processo contra ele) começou a esfriar, ele soltou outro torpedo para voltar à mídia. Criticou aqueles que estavam arrasados com a morte do cachorro na porta do Carrefour, morto por um segurança do supermercado. E voltou. Já está à mil nos sites de fofoca. Resumo da ópera: Falar merda no Brasil dá mídia. Detalhe: Eu continuo sem conhecer nenhuma música que Eduardo Costa canta.