SOMOS TODOS GOLUNOV

Uma semana depois de ter sido preso, vítima de uma armação de policiais, o jornalista russo Ivan Golunov foi libertado ontem, numa ação surpreendente e à jato. Golunov, jornalista investigativo de um site independente, vinha publicando uma série de reportagens sobre a mafia funerária em Moscou. Na noite de quinta-feira foi abordado na rua, acusado de estar levando cocaína na mochila. Foi levado a uma delegacia, onde foi interrogado e espancado. Os russos, com apoio em massa da imprensa, perceberam que se tratava de uma armadilha e partiram em defesa do jornalista. Jornais da Rússia combinaram de sair com a mesma capa, na segunda-feira, exigindo a libertação de Golunov. Ao enxergar um possível escândalo pela frente, a polícia resolveu não apenas libertar o jornalista ontem, como prender os policiais envolvidos na operação.

AV

PRESENTE

Num campo de refugiados de Aqrabat, uma menina síria, demonstra sua felicidade ao receber um boneco de pelúcia presente. Foi uma doação do empresário Rami Adham, que mora na Finlândia e foi condenado a dez meses de prisão por fraude e lavagem de dinheiro.

[foto Aaref Watad/AFP]

REFÚGIO

Enquanto isso, um ciclista solitário circula de bicicleta no bucólico Richmond Park, em Londres, vendo, ao longe, toda a vida agitada que a cidade produz. O nervosismo da Bolsa que o capitalismo criou e a poluição que o homem inventou.

[foto Hannah McKay/Reuters]