O SOL NAS BANCAS DE REVISTA

Fui buscar num velho jornal dos anos 1970, o título para esse check-up diário que farei da imprensa aqui no VILLASNEWS. O Sol era um jornal laboratório, criativo, independente. A alegria de ver todos os dias o Sol nas bancas de revista não tinha tamanho e enchia a gente de alegria. O jornal não passava em branco, passava à limpo o que acontecia naqueles anos difíceis sem democracia. O Sol vai estar aqui de segunda a sexta, de olho nos jornais, nas revistas, na televisão, nas redes sociais, nos podcasts. Contamos com a sua leitura. [AV]

A manchete principal do Globo significa mais ou menos o seguinte: Bolsonaro admite descobrir a pólvora sem fazer barulho.

Preste atenção numa chamada bem pequena, embaixo, do lado esquerdo:

Na página 13, observamos, coincidência ou não, que o cabelo de Jair Bolsonaro está cada vez mais parecido com o de Adolf Hitler.

Deu na coluna na Patrícia Kogut.

Na foto em destaque na primeira página do Globo, não é apenas uma capivara que circula pelo Leblon. Vimos também várias antas aglomeradas.

Na manchete do Estadão, a constatação do óbvio. Pibinho, desemprego e pouca grana.

Perceberam que o esporte, que sempre ganhava destaque nas primeiras páginas dos jornais de segunda-feira, foi reduzido a uma pequena chamada:

Na foto em destaque na primeira página do Estadão, Sarita teve de colocar a filha Marilia numa escola mais barata nesses tempos de pandemia.

Na manchete principal da Folha: São Paulo será o primeiro estado a fazer mudanças no currículo baseado na reforma do ensino, aprovada há três anos.

Ainda na primeira página da Folha, vamos constatando o esperado:

Na foto em destaque, alguns paulistanos preferiram assistir Corinthians e Mirasol no telão, dentro do carro, no Pacaembú.

A capa da revista Carta Capital desta semana, nos remete a um velho problema. Em outubro de 1983, a falta de emprego no governo militar de João Batista Figueiredo era considerado uma “tragédia brasileira”.

Dois títulos bacanas:

Matéria sobre a volta por cima dos restaurantes à quilo. (Veja)

Matéria sobre os cariocas que estão jogando suas máscaras na praia, na rua, em qualquer lugar, menos no lixo. (O Globo)

 

Isso aqui, ô ô… é um pedacinho do Brasil:

Vinte anos após o seu lançamento, a revista O Magazine, de Oprah Winfrey, vai trazer uma outra mulher na capa que não seja a dona da revista: a militante Breonna Taylor é a capa da edição de setembro.

A pandemia de coronavírus pela primeira vez na capa da National Geographic.