O DISCO DO DOMINGO

Tuzé de Abreu, baiano, instrumentista e médico, esteve ligado a tropicália de Caetano, Gil, Tom Zé & todos os outros. Pouco conhecido da nova geração, lançou um disco em 2002 e agora, aos 70 anos, lança o segundo. Inventor, criativo, discípulo de Walter Smetak, o mais suíço de todos os baianos, está no Spotify com Contraduzindo. Vale a pena ouvir. O novo trabalho de Tuzé de Abreu é uma espécie Araça Azul 2, a missão. Adorei.

[AV]

O LIVRO DO SÁBADO

Já se foi o tempo das grandes reportagens. Época em que o repórter tinha tempo para apurar, juntar os cacos e montar o mosaíco de uma grande história. Eis que de repente, em plena decadência da grande reportagem nos jornais e nas revistas, Chico Felitti nos presenteia com uma história extraordinária em forma de livro. Ricardo e Vânia, publicado pela Todavia, não é a biografia de uma figura lendária de São Paulo, o Fofão da Augusta. É sua história reconstruída, esmiuçada, completa. Ele desvenda o mistério, depois de procurar todos os detalhes com a lupa de um grande repórter. Duvido que alguém comece a ler o livro e pare. Nem pra respirar a gente para. Publicada inicialmente no Buzzfeed em forma de reportagem, Ricardo e Vânia foi revista, ampliada e completada. Recomendo.

[AV]

VEJA SÓ!

O sucesso dos feios na capa da espanhola Papel.

•••••••••••••••••••••••••

Ricos e pobres na capa da italiana Le Scienze.

•••••••••••••••••••••••••

Os quarenta anos da revolução iraniana na capa da inglesa New Statesman.

•••••••••••••••••••••••••

Andy Warhol na capa da americana The New York Review of Books.